AMOREIRA

REIXIDA

FONTES

FAMALICÃO

ABADIA

Situado no estremo sul da freguesia, o lugar da Amoreira oferece uma visão geral da freguesia e apresenta uma popu-lação que vive da emigração e do traba-lho particular.

A população vive as dificuldades próprias do limite da freguesia, mas teima em reforçar os laços de unidade e bairrismos que carac-terizam estas gentes.

A Reixida é o lugar mais ambicioso da freguesia. A população sente a respon-sabilidade e o peso da história que fazem deste lugar um dos mais antigos e mais desenvolvidos da freguesia. Todos os anos é celebrada a festa em honra de Santa Marta, protetora dos males exteriores. Por aqui passaram e pernoitaram os pastorinhos de Fátima.

Construída na Reixida na primeira metade do século XVII, a capela de Santa Marta terá sido uma obra do bispo D. Dinis de Melo, que foi o prelado de Leiria entre 1627 e 1636.
O pequeno templo foi erigido especificamente para adminis-tração dos sacramentos, devido à distância a que se encontrava a matriz, e por isso os moradores da Reixida e vizinhos eram obrigados à fábrica dela. Sofreu algumas alterações ao longo do tempo, havendo ainda memória de ter, como a da Senhora do Monte, um pequeno alpendre.

Aqui nasce o rio Lis.

O lugar é muito calmo, sereno e aprazível.
A população está envelhe-cida, mas mesmo assim nutre uma fé e um sentido religioso muito apurado. O espaço e a tranquilidade são propícios a deliciosos passeios noturnos eivados de romantismo.
Capela de Nossa Senhora de Lourdes
Os habitantes mais idosos das Fontes não sabem dizer muito bem quando é que a capela local foi construída mas, pelos episódios contados, as obras terão começado no princípio deste século.
Um deles, nascido em 1901, lembra-se de ter ido com outro colega já falecido buscar as pedras do retábulo e do altar à localidade da Perulheira, à oficina de um tal Rei, por sinal o escultor da pequena imagem da Virgem que se encontra num nicho por cima da porta da capela.

O lugar de Famalicão é conhecido pelo seu bairrismo. É também o lugar mais jovem da freguesia. Em agosto, os muitos emigrantes en-chem as ruas para os tradicionais festejos em honra de Nossa Senhora da Saúde.
A capela de Nos-sa
 Senhora da Saúde, localizada no lugar de Famalicão, é de constru-ção recente e foi aberta ao culto em maio de 1988.
Até esta data, o lugar de Famalicão não tinha capela nem festa local, se bem que a sua população exprimisse desde sempre uma especial devoção por Nossa Senhora, talvez porque a tradição faz localizar o aparecimento da imagem da Senhora da Gaiola, padroeira da paróquia, junto da localidade.

A uma comprida légua de Leiria, acima das Cortes, e no alto de um monte que se prolonga para maiores alturas, há uma Ermida onde se venera uma imagem de Nossa Senhora, com a invocação de “Senhora do Monte” que fez esquecer a de “Mercês” com que algumas vezes a designaram.

Esta santa imagem é de pedra, bem trabalhada, e teve a sua origem num voto de aflição, que a tradição oral e escrita trouxe até hoje e nós vamos contar: Era uma vez... ia Diogo Gil no alto mar.

Colocada a imagem no altar, grande festa Lhe fez Diogo Gil, festa que todos os anos se repetia e que ainda hoje se repete no dia da Senhora do Monte. Não se sabe quando se edificou a ermida, mas sabe-se que já tem vários séculos.